news

Image

2020-07-21

More about Brazil's new website for the UN Ocean Decade

[For our Portuguese-language audience]

Com mais de 7 mil km de litoral, com 17 estados e 11 capitais na zona costeira, o Brasil é um polo para as Ciências do Mar no Atlântico Sul e no mundo.

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) lançou no Dia Mundia do Oceano (8 de Junho de 2020) o site Década da Ciência Oceânica no Brasil, desenvolvido em parceria com o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), uma unidade de pesquisa do MCTIC. O endereço digital faz parte das atividades do ministério no âmbito do Programa Ciência no Mar, lançado em novembro de 2019, com objetivo de promover até 2030 a gestão do conhecimento para o uso e exploração sustentável dos recursos do mar.

A iniciativa está em estreita convergência com os objetivos da Década da Ciência Oceânica para o Desenvolvimento Sustentável (2021-2030) da ONU. O planejamento da iniciativa é de responsabilidade da Comissão Oceanográfica Intergovernamental da UNESCO (COI), na qual o MCTIC possui representação científica. Até 2021 o MCTIC organizará o Comitê Nacional para Década do Oceano com membros dos diferentes setores da sociedade e, liderados pela Secretaria de Políticas para Formação e Ações Estratégicas (Sefae) do MCTIC, formulará um Plano Nacional para a Década do Oceano.

Para o secretário da Sefae/MCTIC, Marcelo Morales, a Década do Oceano é um convite para toda a sociedade tomar a ciência como bússola para o uso sustentável dos recursos marinhos. “No roteiro da navegação pela Década, o MCTIC tem um papel protagonista assumindo o timão do Sistema Nacional de C&T para mobilizar suas competências para a geração de novos conhecimentos dedicados à formulação de iniciativas e políticas baseadas em evidências científicas”, destacou.

No segundo semestre de 2020 o MCTIC organizará oficinas online voltadas para cada uma das Grandes Regiões do Brasil para integrar os setores da sociedade, conhecer os potenciais e os impactos em cada uma das regiões, suas peculiaridades e contribuições com o objetivo de subsidiar a construção do Plano Nacional para a Década do Oceano. “Assim como em outras Agendas de grande relevância para o País, o MCTIC assume uma liderança importante na promoção do desenvolvimento sustentável dos Oceanos ancorada na produção do melhor conhecimento científico disponível”, ressaltou o secretário.

Com mais de 7 mil km de litoral, com 17 estados e 11 capitais na zona costeira, o Brasil é um polo para as Ciências do Mar no Atlântico Sul e no mundo. O intuito do Plano Nacional para a Década da Ciência Oceânica para o Desenvolvimento Sustentável é ser inclusivo, plural e ser o diferencial para o desenvolvimento brasileiro na próxima década.

A Década do Oceano

A ONU declarou a Década da Ciência Oceânica para o Desenvolvimento Sustentável (2021-2030), reconhecendo o papel fundamental da ciência para a tomada de decisão. O Brasil tem assumido uma posição de destaque e o papel da ciência, tecnologia e inovação da comunidade brasileira é essencial na construção desta iniciativa. Na Década do Oceano, todos os setores da sociedade, como pesquisadores, tomadores de decisões, sociedade civil, empresários e cidadãos, são convidados a se unir para formar a geração oceano, desenvolvendo uma cultura oceânica para conhecer e respeitar o papel do oceano na sua vida e a influência das suas ações, promovendo mudanças para termos um oceano mais saudável e um futuro mais sustentável.       

Cumprindo seu papel e participando das discussões para o Planejamento global, o MCTIC lidera as ações nacionais para a Década do Oceano. No Hemisfério Sul, o ministério sediou o “Workshop Regional do Atlântico Sul” em novembro de 2019, onde representantes de diferentes setores da sociedade dos países do Atlântico Sul se reuniram para discutir as prioridades e metas do Atlântico Sul. Também em 2019, a costa brasileira foi atingida por um vazamento de óleo desconhecido que mostrou a importância da ciência, tecnologia e inovação, especialmente no campo das Ciências do Mar, produzidas pelos pesquisadores brasileiros. O MCTIC promoveu ações de pesquisa emergenciais para o enfretamento e remediação do problema com investimento de R$7,5 milhões e o Edital de pesquisa para o óleo no mar a ser lançado em junho de 2020 no valor de R$ 4 milhões.

Acesse mais informações no portal do Programa Ciência no Mar: http://decada.ciencianomar.mctic.gov.br